50 tons de cinza – resenha, críticas e expectativa.

30 julho, 2012

“Venda de sex shops britânicos disparam após sucesso de livro erótico”
Foi com essa frase que a minha curiosidade sobre o livro foi despertada, e com todo esse fervor em torno do que, dizem as críticas, pode mudar o modo de pensar e a vida sexual de muitos casais.

 

Na resenha atrás do livro você encontra:
“Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja – mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso – os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.”

 

Confesso que só isso já me faria ter um pequeno desejo de ler o livro, e provavelmente o comprasse por impulso. Na verdade, acho que foi isso mesmo que aconteceu com todas antes desse BOOM mundial.

Lendo mais resenhas por aí, deparo com o tema sadomasoquismo. É aí que eu tenho certeza: QUERO O LIVRO!! E o mais rápido possível em minhas mãos, por favor.

Eu não chego a ser sado ou masoquista, mas tenho uma pitada de interesse por arranhões, correntes, mordaças e vendas. É um tema polêmico… uma sexualidade muito discutida e pouco aceita e isso já é suficiente para eu pensar que o enredo pode ser bom.

 

As más línguas criticam o jeito de escrita da autora, Erika James. “Repetitivo, demasiado simples, com erotismo sem pudores e clichês que toda história possui” – OK, mesmo sem ler o livro eu concordo em partes. A garota ingênua x o milionário é encontrado em diversas histórias, a linguagem simples é marca registrada de best Sellers e repetitivo, bem…não posso afirmar com certeza porque ainda não li, mas acredito que ela volte bastante na questão “ele é lindo e dominador”. Mas nada disso impede o livro de ser bom, não precisamos ter palavras difíceis com enredo complexo para nos sentirmos bem e entrarmos de cabeça em uma história, às vezes é totalmente ao contrário. E com certeza 50 tons de cinza tem mil formas de agradar cada um que o ler.

Vale lembrar que o livro faz parte de uma TRILOGIA

 

MINHA EXPECTATIVA:

Para mim que sou fã assídua da arte sensual e erótica, ver um livro desse gênero nas prateleiras de best sellers me deu uma nova expectativa sobre o que está por vir.
Por ser uma história que é lida principalmente por mulheres, me faço crer que a liberdade sexual finalmente chegou, e não digo em relação à sociedade, porque falar é muito fácil, mas digo em relação a si próprias, àquele pensamento de que mulher não lê livros eróticos e não vai atrás de novidades para agradar o casal ficou para trás. E esse é um passo enorme para quem usava saias abaixo do tornozelo há 100 anos atrás.

Sadomasoquismo pode não ser o exemplo perfeito de liberação, mas o contexto atual dita que é mais uma procura por novidades do que submissão. Não é o ato de se submeter a todas às vontades de alguém, e sim de agradar ambos.

 

Eu li o primeiro capítulo e a descrição que a autora faz do Grey é incrível, ela mostra tudo e ao mesmo tempo nada, é tudo dedução de como será realmente sua personalidade e como isso será crucial no decorrer do tempo.

Ainda tenho minhas dúvidas se ele me seria atraente em uma primeira conversa. A beleza extrema junto à prepotência talvez me enjoasse um pouco, mas cada frase me faria ter mais curiosidade sobre tal. Obviamente eu não conseguiria ser como Ana, e ele não se sentiria atraído por mim. Se aceito fazer algo, eu faço; posso ter medo, mas tento ao máximo não demonstrar, e principalmente não cair aos pés de ninguém.

 

Aguardo ansiosa pelas cenas eróticas, de saber como ela transcreveu isso. Ao mesmo tempo que quero algo sensual, também posso querer um conto erótico camuflado nas páginas de um livro que aqueles que não conhecem não pegarão para ler.

Tenho certeza que as cenas me inspirarão muito, e todos vão ter que me aguentar com mil ideias novas, tanto aqui no blog…quanto em uma noite toda especial com o namorado. A inspiração vai até mesmo para ensaios fotográficos, dos quais eu vou entregar a câmera para ele e pedir um ensaio meu. Depois de ler o livro eu posto o resultado aqui.

 

Comprei a pré-venda hoje, e espero que os correios funcionem dessa vez. Quero meu livro!!
Quando terminar de ler posto aqui se as expectativas foram supridas ou se deixou a desejar. E claro, agora aguardem post sobre “SADOMASOQUISMO X MASOQUISMO – você sabe a diferença?”.

6 Responses

  1. Lily disse:

    Esse livro está nos meus pensamentos!!Vou ficar ansiosa até comprar esse livro!sersrs

  2. Ingrid Vigel disse:

    Para quem gostou (ou até mesmo para quem não curtiu) do “50″ descobri um que atrevo dizer ser bem mais legal: “REDES SENSUAIS”. http://WWW.FACEBOOK.COM/REDESSENSUAIS Achei “Redes” muito mais excitante (e plausível) que o “50″. A história reflete isso que acontece todos os dias, isto é, pessoas se encontrando no real e no virtual através da internet. Escrito por um brasileiro que diz morar no exterior, o livro tem um jeitinho mais “nosso” sem cair no lugar-comum. Gostei e recomendo efusivamente!

  3. [...] mulher fiquei super ansiosa para ler o best seller mais sensual das livrarias. Até escrevi o post “50 tons de cinza – resenha, críticas e expectativas” sobre o que eu esperava do livro, e era [...]

  4. Bruno disse:

    Livro não tem nada a oferecer. Repetitivo. Sem história, apenas sexo. Não merece metade do sucesso que fez. Hoje em dia a tantas histórias incríveis sendo publicadas (Jogos Vorazes, Divergente, Delírio) livros com história, conteúdo, algo a oferecer ao leitor. E então 50 tons faz todo esse sucesso. O livro não é de todo ruim, tem partes bacanas, porém, não há surpresa alguma. Apenas um livro previsivel e falando sobre sexo.

  5. Carol disse:

    sinceramente, todo livro merece ser criticado, tanto por um lado positivo como negativo. E digo isto, porque é uma verdade; não é porque o livro é ruim e só vai falar mal dele, já parou pra pensar que todos os livros, Jogos Vorazes, Harry Potter,Crepúsculo, todos eles possuem uma crítica de ambos os lados. 50 Tons não é um livro que fala de sexo, ele mostra como é feito o sexo da forma masoquista, sadomasoquista. Enfim, a trilogia de 50 tons, eu acredito, que seja ótima – li apenas o 1º (Tons de Cinza), e começarei o 2º (Tons mais Escuros) – não é porque, pessoas dizem que só tem sexo, porque o livro não é só sexo; independente da critica que fazem ao livro, não é para impedir pessoas a lerem tal livro; ninguém deixou de ler Crepúsculo por ter um protagonista vampiresco, ninguém deixou de ler Harry Potter, por ser uma história de um bruxo.. Critica sempre vai existir, então não é válido dizer que “o livro fala da tal coisa”, o pior é que vem de pessoas que nem lerão o livro e ficam dizendo por aí tal, e tal coisa. Enfim, não deixem de ler a trilogia de 50 Tons, porque como lhes disse, parece me ser maravilhosa, mesmo até porque é uma leitura romantica erótica.

  6. Ciça disse:

    Apesar da maioria ter gostado do 50 Tons de cinza, ainda tem uma pequena parte das mulheres que não gostou, como eu, confesso que fiz um esforço para gostar ( verdade ) . Achei o livro, regular e e não achei essa maravilha toda que então dizendo.
    A narrativa é fraca e os personagens mal construidos. Pior que este livro só “toda sua”( Crossfire)
    Vamos vê se o filme conseguirá ser pior.Para quem gostou :parabéns!

Leave a Reply